Portal do Governo Brasileiro

Curso eMAG / Desenvolvedor

gov.br eMAG

Início do Conteúdo

Práticas Web acessíveis Conteúdo/Informação


Início do Sub-menu

Fim do Sub-menu


Início do tópico

Idioma

O idioma principal do site deve ser declarado em todas as páginas, já que auxilia na acessibilidade e melhora a indexação pelos motores de busca.

Exemplos:

Em HTML 4.01

						
	<html lang="pt-BR"> 
	<head> 
	<title>documento escrito em português do Brasil</title>
						
					

Em XHTML 1.1

						
	<html xmlns="http://www.w3.org/1999/xhtml" xml:lang="pt-BR" lang="pt-BR"> 
	<head> 
	<title>documento escrito em português do Brasil</title>
						
					

Em HTML5

						
	<html lang="pt-br"> 
	<head> 
	<title>documento escrito em português do Brasil</title>
						
					

Quando houver mudança de idioma no conteúdo, o ideal é sempre identificar a mudança através do atributo “lang”. Não há necessidade de informar a mudança de idioma para nomes próprios ou termos técnicos que sejam compreendidos no contexto.

Exemplos:

Em XHTML

						
	<p xml:lang="de"> 
	Da dachte der Herr daran, ihn aus dem Futter zu schaffen, 
	aber der Esel merkte, daß kein guter Wind wehte, lief fort 
	und machte sich auf den Weg nach Bremen: dort, meinte er, 
	könnte er ja Stadtmusikant werden. 
	</p> 
						
					

Em HTML

						
	<p lang="de"> 
	Da dachte der Herr daran, ihn aus dem Futter zu schaffen, 
	aber der Esel merkte, daß kein guter Wind wehte, lief fort 
	und machte sich auf den Weg nach Bremen: dort, meinte er, 
	könnte er ja Stadtmusikant werden. 
	</p>
	
	<p>
	O leitor de tela <span lang="en">JAWS</span> 
	(acrônimo para <span lang="en">Job Access With Speech</span>) 
	é um software desenvolvido pela empresa americana 
	<span lang="en">FreedomScientific</span> e é, atualmente, 
	um dos mais populares no mundo. 
	Trata-se de um <span lang="en">software pago</span>, 
	desenvolvido para o sistema operacional 
	<span lang="en">Microsoft Windows</span>.
	</p> 
						
					

Voltar ao sub-menu


Início do tópico

Título da página

O título da página é a primeira informação que será lida para quem utiliza leitor de tela, devendo ser descritivo e informativo, de modo que represente o conteúdo principal da página. O título é informado pelo elemento “title” e deve contemplar o assunto da página e o nome do site.

Exemplos:

Página inicial do Ministério da Educação:

						
	<title> 
	Ministério da Educação
	</title> 
						
					

Página interna “Publicações” do site do Ministério da Educação:

						
	<title> 
	Publicações – Ministério da Educação
	</title> 
						
					

Voltar ao sub-menu


Início do tópico

Localização do usuário no site

As páginas internas do site devem disponibilizar o caminho das páginas percorridas, através de mecanismos que possibilitem ao visitante orientar-se dentro de um conjunto de páginas. O caminho percorrido deve oferecer uma lista de links organizados hierarquicamente, permitindo ao usuário saber qual o caminho cursado até a página atual. Nos breadcrumbs todos os elementos, com exceção da localização atual, deverão estar no formato de links, estando o conjunto desses precedido por expressões que o identifique como, por exemplo, “Você está em:”, conforme podemos ver no exemplo a seguir:

Página conheça o projeto contendo no seu topo o caminho da localização da página no site

Voltar ao sub-menu


Início do tópico

Documentos para download

Assim como o conteúdo de um site deve ser acessível, o material disponibilizado para download também precisa ser. Um dos formatos mais acessíveis é o próprio HTML e, por isso, sempre que possível, disponibilize documentos neste formato. Também podem ser utilizados arquivos para download no formato ODF - Open Document Format, tomando-se os cuidados para que sejam acessíveis. Se um arquivo for disponibilizado em PDF - Portable Document Format, deverá ser fornecida uma alternativa em HTML ou ODF. É necessário, também, informar a extensão e o tamanho do arquivo no próprio texto do link.


Exemplo

						
							
	<a href="manual.odt"> Manual do W3C (formato .odt, tamanho 150Kb) </a>
						
						
					

O ODF é um formato aberto de documento que pode ser implementado em qualquer sistema. Atualmente existem diversos softwares, pagos ou gratuitos, que permitem a utilização de documentos ODF, suportados em diversos sistemas operacionais. O ODF engloba formatos como:

  • ODT para documentos de texto
  • ODS para planilhas eletrônicas
  • ODP para apresentações de slides

Muitos softwares já utilizam esses formatos, como é o caso do OpenOffice (LibreOffice), BrOffice, Google Docs, Abiword e StarOffice. O Microsoft Office 2010 também inclui suporte para ODF. Para versões anteriores do Microsoft Office, pode ser instalado um Add-in gratuito para suporte aos formatos ODF.


Se forem utilizados ícones para arquivos, é importante utilizar imagens e descrições de forma consistente dentro de um mesmo site, evitando confusão:

Utilização inconsistente

  • Página 1

    Arquivo odt / pdf
  • Página 2

    arquivo em pdf / download de odt

Utilização consistente

  • Página 1

    Arquivo odt / Arquivo pdf
  • Página 2

    Arquivo odt / Arquivo pdf

Voltar ao sub-menu


Início do tópico

Texto

Acessibilidade também consiste em garantir que um texto possa ser facilmente lido e compreendido por todos.

Algumas técnicas que podem auxiliar neste sentido incluem:

  • Desenvolver apenas um tópico por parágrafo;
  • Utilizar sentenças organizadas de modo simplificado para o propósito do conteúdo (sujeito, verbo e objeto, preferencialmente);
  • Dividir sentenças longas em sentenças mais curtas;
  • Evitar o uso de jargão, expressões regionais ou termos especializados que possam não ser claros para todos;
  • Utilizar palavras comuns no lugar de outras pouco familiares;
  • Utilizar listas de itens ao invés de uma longa série de palavras ou frases separadas por vírgulas;
  • Fazer referências claras a pronomes e outras partes do documento;
  • Utilizar, preferencialmente, a voz ativa.

Exemplo:

Repare no texto a seguir:

"Como exemplos de leitores de tela podemos citar o JAWS, que é um dos mais populares no mundo para Windows, mas é um software pago, o NVDA, o qual é gratuito e de código aberto para Windows, o ORCA, que também é gratuito e de código aberto, mas para Linux e o Virtual Vision, que é um leitor de tela pago para ambiente Windows, desenvolvido pela empresa brasileira MicroPower. Mais informações sobre esses leitores podem ser encontradas nos seus respectivos sites: http://www.freedomscientific.com/products/fs/jaws-product-page.asp (link para um novo site), http://www.nvda-project.org (link para um novo site), http://live.gnome.org/Orca (link para um novo site) e http://www.virtualvision.com.br (link para um novo site)."

O texto acima pode ser apresentado de maneira mais clara e fácil de compreender através de pequenas modificações, como a utilização de listas de itens e a padronização na linguagem e na forma de apresentação:

"Como exemplos de leitores de tela podemos citar:

Quando o texto incluir palavras incomuns, termos técnicos, palavras ou frases em outro idioma, etc., deverá ser fornecida uma explicação para tais palavras. Também deverão ser fornecidas as formas completas ou o significado de siglas e abreviaturas, ao menos na primeira vez em que aparecerem no texto.

As definições poderão ser fornecidas através de um texto adjacente, uma lista de definições, um glossário, ou de qualquer outro modo.

Voltar ao sub-menu

Fim do Conteúdo